segunda-feira, 29 de junho de 2015

Cala a boca,Philip

Alguns filmes são tão bons que fica difícil, praticamente impossível não esboçar uma resenha sobre eles. São aquelas obras que dominam seu pensamento, fazendo que você medite sobre a história e os personagens, especialmente sobre a mensagem proposta. 
"Cala a boca, Philip" trata da rotina do escritor Philip Lewis Friedman, uma pessoa extremamente arrogante e egoísta que magoa as pessoas sem a intenção de fazê-lo. Desacreditado por todos no início, ele agora se encontra prestes a publicar o seu segundo livro. Adotando uma postura misantrópica, ignora os sentimentos de sua namorada Ashley que sempre o apoiou emocionalmente e financeiramente, dirigindo agora toda a atenção para seu amigo, o consagrado escritor Ike Zimmerman, que assim como ele, é recluso mal fala com sua filha, seu único laço familiar. Prisioneiro de suas contradições, o protagonista parece não enxergar outra alternativa que não seja o auto-exílio com seu colega de ofício em uma cabana isolada no meio rural, pois afirma sentir-se sufocado e improdutivo no ambiente urbano em que reside. A narrativa em off rebuscado, quase literário, ajuda o espectador a perceber a história como se a mesma fosse um livro que ganha vida, onde as emoções e considerações dos personagens são descritas para o público. A fotografia levemente granulada lembra os filmes da década de 70 e contribui para traduzir o lirismo da história. Poucas vezes a labuta do escritor, foi tão bem representada na sétima arte, revelando artistas presos em seus próprios universos, com pouco ou  nenhum traquejo social, que demandam uma boa dose de paciência e sensibilidade, forças da natureza que ocasionalmente sufocam seus próximos sem considerar o estrago que causam ao seu redor. Gigantes que desprezam o tamanho de suas próprias pegadas e só percebem seu rastro quando é tarde demais para remediar. Trafegam em meio à multidão como equilibristas desengonçados, buscando seu espaço em meio a uma realidade que não os comporta.

Gilson Salomão Pessôa é jornalista formado em Comunicação Social pela Universidade Federal de Juiz de Fora, com Pós Graduação em Globalização, Mídia e Cidadania pela mesma faculdade.